O MEIO

“Afirma a tradição que o Cariri era o território mítico de Badzé - o deus do fumo e civilizador do mundo.

No principio era a Trindade: Badzé era o Grande - Pai. Podit​ã era o filho maior e

Warakidzã (senhor do sonho), o filho menor...”
Rosemberg Cariry

Natural da região do Cariri CE, o brincante, compositor, cantor e instrumentista Junú, desenvolvendo um trabalho de música, dança e performance, assimilando diversas influências e linguagens que transitam livremente entre o tradicional e o contemporâneo.

​JUNÚ - MÚSICA CARIRI

O Cariri cearense é uma região singular em nosso país. Reúne saberes ancestrais que estão ainda preservados na memórias de homens e mulheres. Uma região que recebe anualmente centenas de milhares de romeiros vindos de todo o nordeste, movidos pela fé no padre Cícero e que junto com suas promessas e orações trazem consigo seus costumes, sotaques, vocabulários, musicas, poesias, ritmos e brincadeiras que congrega o Cariri numa simbiose múltipla, rica e complexa com seus reisados, guerreiros, lapinhas, bacarmarteiros, bandas cabaçais, coco, emboladas, repentes, entre dezenas de outras manifestações.

É nesse cenário Cariri que surge o talento e a delicadeza de Junú, músico que expressa sentimentos e emoções no esbanjamento de sua canções que misturam ritmos e cores do Cariri nos colocando frente a um espetáculo inspirado na cosmogonia, na força do mito e nos símbolos mais profundos e sólidos do caldeirão nordestino. Criação e invenção que se desdobram em sentidos metafísicos e poéticos desenhando uma linha contínua entre o passado, presente e futuro com um repertório que mistura sua própria história, expressão artística de qualidade que compreende uma diversidade de sons dignos de representar a música brasileira.

 

O RITO

O cantor, compositor, instrumentista e brincante leva aos palcos uma pulsante celebração da vida. O show confunde-se com um ritual. Força e delicadeza evidenciando as referências a sua terra natal, o Cariri Cearense. Seu trabalho parte do sertão, mas também mostra-se fortemente urbano, assim, o poeta aglutina as artes populares através de uma leitura contemporânea, servindo-se de elementos tradicionais como ferramenta para resignificar todas essas linguagens: Música de terreiro, reisado, banda de pífano, ​coco, cantoria, benditos, música virtual, eletrônica, digital, rave, drumbase, rock'n'roll... Expressão ilimitada de possibilidades. Tudo isso em um espetáculo de música, dança e performance.

Dane de Jade

RELEASE

 

Natural da região do Cariri CE, o brincante, compositor, cantor e instrumentista Junú, apresenta um trabalho de música, dança e performance, assimilando diversas influências e linguagens que transitam entre o tradicional e o contemporâneo. 

 

Esqueça todos os estereótipos e atualize o seu navegador. 

 

O nordeste está cheio de lugares cosmopolitas, pulsantes, sempre se reiventando. E não é diferente na região do Cariri no Ceará. Junú carrega toda a abundância e diversidade cultural desse Oásis brasileiro. Um coração verde que irradia vida no meio do semiárido nordestino. 

 

Ao longo de seus 15 anos de carreira, JUNÚ desenvolve um trabalho que nasce no Cariri, mas não se limita a fronteiras estéticas e de linguagens artísticas, muito próprio, nascido na fonte das manifestações populares do Cariri, sempre teve o seu olhar buscando o horizonte. Conectado à cultura cearense, à música popular brasileira e ao rock. Produzindo aquilo que chama de Sertão Pop. Entre as brincadeiras de reis, vestindo capa, saias, fitas e portando espada, os sons processados dos sintetizadores e guitarras elétricas, Junú nos leva a uma viagem pelo Sertão da atualidade, que olha para o mundo e encara o futuro a partir de sua própria história, sendo conhecedor do seu passado e de toda a sua ancestralidade. 

A sonoridade de Junu segue numa trajetória evolutiva desde os seus primeiros trabalhos com o Dr. Raiz (2005) e Calendário – O Tempo e o Vento (de 2007). Até os mais amadurecidos Warakidzã (2012), Natureza (2016). Atualmente Junú vive em São Paulo onde está produzindo seu mais novo álbum. Vem se apresentando nos palcos do Brasil e do exterior ao lado de cantores da nova geração da Música Brasileira como: Chico Chico, Lucas Santanna, Lucy Alves, Júlia Vargas e Juliana Linhares. Um dos projetos paralelos do cantor é a festa, e o bloco da “Terreirada Cearense” que leva o Cariri Encantado para o eixo Rio/São Paulo, reunindo mais de 10 mil pessoas.

POR AÍ...

​Junú - Geraldo Ramos Freire Junior é natural de Juazeiro do Norte Ceará, região do Cariri. Conviveu desde sua infância com a riqueza da cultura popular dessa região; romarias, renovações, festas de padroeiros, forrós de pé-de-serra, bandas cabaçais, reisados... É Brincante de Reisado e mantém uma forte ligação com os Mestres e grupos de Cultura Popular tradicional da região. Como produtor cultural trabalhou para SECULT (Secretaria de Cultura do Estado), SESC, Centro Cultural BNB, entre outros. Ajudou a desenvolver, e por vários anos, foi responsável pela Mostra de Cultura Popular de Tradicional (Terreiradas), que acontece dentro da Mostra SESC Cariri de Cultura. Em sua trajetória ganhou festivais, e apresentou-se em várias regiões do Brasil e no exterior.



Alguns eventos importantes:



EUROPA:

PORTUGAL – Coimbra: Mostra SESC Luso-Brasileira de Culturas, Universidade de Coimbra, Jardins da AAC e Escola Avelardo Brotero;

INGLATERRA – Londres: Galpão de La Plage;

ALEMANHA – Munique: Einstein Kultur - Theater Musik Wort Bild;

BÉLGICA -  Bruxelas: Festival Ai Que Bom!;

SUIÇA – Genebra: EthnoBar - Mr Pickwick, Geneva e Zurique: Festival de Cultura Brasileira e Zurique Dança Forró;

PARIS – França: La Plage e Studio de Rigole – Marselha: Bal Concert;

GRÉCIA - Atenas: Estádio Panatenaico (Cerimônia de passagem da chama olímpica da Grécia para o Brasil);

RIO DE JANEIRO

– UFRJ, UFF, SESC Nacional, ESEM – Escola SESC de Ensino Médio, SESC Tijuca, SESC Nova Iguaçu, Sala Baden Powell, Teatro Nelson Rodrigues – Caixa Cultural, Fundição Progresso, CTO – Centro de Teatro do Oprimido, Clube dos Democráticos, Lapa 40, Rio Scenarium, Livrarias Saraiva, Leviano, Circuito Cultural Mercado do Peixe, Teatro SESI/SENAI de Jacarepaguá, Circuito Cultural SESI RJ, Tangolomango, Calourada da Rural, Festival Santa Música, Cúpula dos Povos, Rio+20, Congresso Mundial da Juventude, Encontro Brasileiro de Produção Cultural e Festival Kombi Voadora, CCBB - Centro Cultural Banco do Brasil e Circo Voador;

​SÃO PAULO

– SESC Ipiranga, SESC Thermas, SESC Rio Preto, SESC Bauru, SESC Pompéia, Sesc São José dos Campos, Espaço Urucum, Mundo Pensante, Sarajevo, Coletivo Tapuia, Puxadinho da praça;

MINAS GERAIS

– Ouro Preto e Mariana (Festival de Inverno de Ouro Preto) e Juiz de Fora (Corredor Cultural);​

DISTRITO FEDERAL

– CCBB - Centro Cultural Banco do Brasil

PARANÁ

– Maringá FEMUCIC (Festival Musical de Cidade Canção) e Foz do Iguaçu  no Festival Cultural Latino Americano;​

ATO GROSSO

– Cuiabá ENEL (Encontro Nacional dos Estudantes de Letras) na UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso);​

PERNAMBUCO

– Recife Carnaval Multicultural e Bodocó Festa de São José;​​

PARAÍBA​​​​​​​

– Cajazeiras UFPB (Universidade Federal da Paraíba), Sousa CCBNB (Centro Cultural Banco do Nordeste) e Campina Grande UEPB (Universidade Estadual da Paraíba);​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​
ALAGOAS

– Maceió FEMUSESC (Mostra de música do SESC Alagoas);
PIAUÍ

– Teresina ”Armazém de Todos os Sertões“, Festival “O Sertão Vai Virar Mar” e Festival T.H.E Music;
CEARÁ

– SESC's Juazeiro do Norte, Crato, Sobral, Aquiraz e Fortaleza (Emiliano Queiroz); Mostra SESC Cariri de Cultura; Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura; Teatro José de Alencar; V Bienal Internacional do Livro; Festa de Santo Antônio de Barbalha; Circuito Cultural Banco do Brasil; XV Cine Ceará; Circuito Ceará de Cultura; Encontro de Mestres do Mundo e Festival de Teatro de Guaramiranga.

PARCEIROS

 

Beto Lemos, Gabriel Pontes, Dudé Casado , Demétrius Carvalho, Ranier Oliveira, Eric Barbosa, Lello Bezerra, Eduardo Karranka, Gil Duarte, Ricardo Cotrim, Genival do Cedro, Marcelo Müller, Cláudio Lima, Marcos Maia, Fábio Maciel, Ricardo Miranda, Anderson Matos, Remy Oliveira, Joana Araújo, Abel Pereira, Rubens Darlan, Rodrigo Moura, Lifanco, Ibbertson Nobre, Evaldo Rodrigues, Flauberto Gomes, Francisco Gomide, Junior Casado, Antônio Queiroz, João gabriel, Rebeca Queiroz, Rubens Leite, Cícero Tertuliano, Evânio Soares, Ramon Saraiva, Pantera, João Caetano e Filipe Müller.