Cariri Lusitano - Mostra Luso-Brasileira de Culturasr

Jornal SESC Brasil Junho 2011

 

O palco de abertura da Mostra SESC Luso-Brasileira das Culturas recebeu o grupo português Cantares de Santo Amador, da região do Alentejo, os Irmãos Aniceto do Crato no Ceará, e os cariocas do grupo Teatro de Anônimo. A programação composta por artistas brasileiros e portugueses, nas linguagens de artes cênicas, música, literatura e cinema, povoou Coimbra em múltiplos locais da cidade, como a Praça 8 de Maio, o Largo da Portagem, o Teatro Acadêmico Gil Vicente, o Teatro Estúdio Bonifrates e ainda o Jardim da Associação Acadêmica de Coimbra.

 

Entre os artistas brasileiros, estava o cantor e compositor Geraldo Junior. Para ele, o público português é bastante parecido com o brasileiro. “O pessoal é muito aberto, participa e se envolve no show”, disse. Já para Julio Adrião, que apresentou o espetáculo Descoberta das Américas no Teatro Acadêmico Gil Vicente, o português é mais formal, contudo, caloroso e receptivo. “Nossa apresentação foi o coroamento dessa parceria luso-brasileira por meio de uma Mostra que tem tudo para se firmar como uma das maiores oportunidades de troca cultural entre esses dois povos”.
 

A Mostra tem como um dos seus objetivos promover o intercâmbio cultural entre artistas do Brasil e Portugal


Geraldo também elogiou a iniciativa do SESC em promover esse tipo de evento, levando um pouco da cultura brasileira para a Europa, já que, “normalmente, consumimos muito o que vem de lá”. 

Além dos já citados estavam presentes por parte do Brasil, o DJ Rodrigo Fuser da Farra na Casa Alheia, a cantora paulista Consiglia Latorre, a Cia. Tato Criações Cênicas de Curitiba, os escritores Dilmar Miranda, Ermano Morais e Iêda Magri. Foi também realizada a mostra de filmes do cineasta Rosemberg Cariri. Na parte portuguesa, estavam o Grupo de Fado da Associação Acadêmica e a Cia. Bonifrates com o espetáculo La Calle en Inferno.

 

A plateia acompanha os Irmãos Aniceto em Coimbra


Foram oferecidos ao público workshops para formação e aprendizagem na produção artística. “Por toda a cidade houve este espírito da cultura brasileira do Ceará, terra da Maria Bonita, dos mestres cantantes que fazem poesia de improviso e do romance do cordel”, ressaltou o diretor da Fluc, Professor-Doutor Carlos André.

Que venham as próximas edições. E como gritou em público um “gajo” no show de Geraldo Junior e o Dr. Raiz, na madrugada do dia 7 de junho: “Esta Mostra SESC está a fazer Coimbra mais feliz!”

 

Jornal SESC Brasil: http://www.sesc.com.br/jornalsescbrasil/jul11/capa_02.html